É possível aprender com a pandemia?

7 de jun. de 2020


Que viver o distanciamento social é um desafio e quase uma tortura, para boa parte das pessoas, já sabemos. Assim como, sabemos que a pandemia aflorou muitos medos e, para imensa maioria das pessoas, vivenciá-la (mesmo que não infectado) é doloroso, angustiante e está longe de ser uma experiência divertida (convenhamos que viver uma pandemia é bem chato).
Mas você já parou para pensar se é possível aprender alguma coisa com tudo isso? Você já aprendeu algo com esses meses de convivência com a COVID-19?
Sou adepta da ideia de que qualquer experiência pode ensinar de alguma forma. E é sobre isso que venho conversar hoje com você!
A pandemia, como já conversamos aqui algumas vezes, quebrou nossa rotina e vem exigindo muito jogo de cintura e adaptação. Ela está nos ensinando sobre a importância do planejamento e organização. Sim, planejamento! Você já deve ter percebido que cada saída de casa tem sido diferente do que era antes de março deste ano. Precisamos fazer listas para não esquecer de nada ao ir as compras e assim evitar saídas desnecessárias. Da mesma forma como traçamos roteiros se precisamos em ir em diferentes lugares, otimizando o tempo e ficando expostos o menor tempo possível. Isso tudo exige planejamento. Hoje nos deparamos com trabalho em casa, aulas em casa, família em casa, refeições em casa, lazer em casa.... e convenhamos haja planejamento e organização para dar conta disso!
Ainda na mesma linha do planejamento e da organização, vem nos ensinando a importância de planejar as coisas a curto prazo (neste momento até mais do que a médio e longo prazo), pois em um cenário de incertezas e de tantas mudanças precisamos estar "preparados", na medida do possível, para o que pode acontecer. Se antes fazíamos planos para as férias de final de ano já desde o primeiro trimestre de ano, hoje temos que planejar como vamos fazer para trabalhar na semana seguinte se as aulas presenciais se manterem suspensas. Se antes fazíamos planos para comprar determinado bem material, hoje vamos avaliando o cenário com cautela para negociar possíveis atrasos em nossas contas e para ver até onde podemos comprometer nossos recursos financeiros.
E por falar em finanças, você há de convir que a pandemia vem impactando a economia de maneira agressiva. Pessoas que se deparam com demissões (e o risco de ser demitido talvez nunca esteve tão elevado), contratos de trabalho suspensos temporariamente, empreendedores (que mais do que nunca) precisam se desdobrar para manter seus negócios, e empresas que acabam não tendo fôlego e acabam fechando sufocadas pelos rastros da COVID-19. Aqui entramos em outro ponto que pode ser encarado como ensinamento o consumo consciente. Talvez esse já você um hábito seu, mas se não era esse talvez seja um momento para refletir. Assim como precisamos nos planejar, organizar e reorganizar nossas finanças no atual cenário, precisamos também avaliar sobre o que de fato precisamos, sobre o que realmente é necessidade e o que estamos nos impondo como uma necessidade.
Novas formas esse talvez seja o ponto mais perceptível dos ensinamentos. Tivemos que pensar rapidamente em novas formas para trabalhar, para estudar, para nos distrair e até mesmo para amenizar as saudades das pessoas que amamos. 
Nos deparamos com as aulas em casa, e haja criatividade para elaborar aulas virtuais (para quem não havia sido preparado para isso como a imensa maioria dos profissionais da educação), para auxiliar as crianças em casa com essa nova didática e convenhamos haja adaptação das crianças para que consigam se concentrar, aprender e ainda lidar com o fato de que não podem mais ver seus colegas na escola por tempo indeterminado.
No campo do trabalho conhecemos o, hoje tão falado, home office que vem mostrando que veio para ficar, mas que é desafiador e exige cuidados. Precisamos estar atentos para limitar o tempo de trabalho, já que ele está dentro das nossas casas. Precisamos estar atentos a produtividade, para não ficar dispersos já que não temos o ambiente de trabalho no formato que já estávamos habituados. Precisamos estar atentos a ergonomia. Precisamos estar atentos à nossa saúde emocional, pois ele pode ser fonte de ansiedade e adoecimento se não estivermos atentos. Mas entraremos nos detalhes do home office em outro momento! E também no campo do trabalho temos as pessoas que não entraram em home office (pois suas atividades não comportam esta modalidade) e aí precisam se adaptar ao trabalho com rotinas de cuidado e proteção, precisam lidar com o medo de se contaminar e acabar contaminando seus familiares, com a pressão das pessoas que não entendem que para eles simplesmente não é possível cumprir o tal "fique em casa".
E por fim, foi preciso buscar novas formas para nos distrair e amenizar as saudades. E neste ponto a tecnologia e a internet foram nossos aliados. Vídeo chamada, lives com shows que vieram para dentro de nossas casas, rodas de conversa, sorrisos e lágrimas compartilhadas possibilitadas através das telas de nossos celulares e computadores.
E para finalizar um ensinamento que espero que seja um daqueles que veio para ficar é sobre saúde mental. Se até então ainda encarávamos o tema com tabu e preconceito, a pandemia veio para mostrar que não somos somente um corpo físico, e que olhar com amor e cuidado para nossa saúde mental é fundamental. Ainda temos muito caminho pela frente, mas a pandemia está mostrando que saúde mental não é coisa de gente de pouca fé, de gente desocupada ou apenas coisa para louco. Nos deparamos com um cenário extremamente ansiogênico, com isolamento, com incertezas, com lutos, com angústias. Já existem muitos estudos apontando um aumento do adoecimento ligado a questões de saúde mental, e da importância de investir em ações que possam dar suporte para as pessoas desde agora para que não venha a ser a próxima pandemia.
Aproveito a oportunidade de estar aqui conversando com você leitor neste momento e frisar mais uma vez: sua saúde mental também precisa de cuidados! Não tenha medo, e não hesite em buscar ajuda de um profissional, quando perceber que está difícil lidar com tudo isso sozinho.
Então, caro leitor, a pandemia vem lhe ensinando alguma coisa? Compartilhe aqui comigo!

Postar um comentário